n

Cruzar Olhares para ver Direito

“Olhares Cruzados: a Europa em Angola” pretende ser um espaço de interseção de olhares, de experiências, de conhecimentos, a convidar à reflexão sobre os valores centrais que orientam as sociedades democráticas contemporâneas e o muito que se propõem alcançar.

Integrada no programa cultural da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia (2021), a exposição partiu de um convite dirigido a todos os fotógrafos (angolanos e europeus) residentes em Angola para enviarem ao Camões – Centro Cultural Português em Luanda fotos que pudessem cruzar-se com os valores nos quais assenta a constituição da UE.

Como bússola de navegação foi-lhes dada a Carta dos Direitos Fundamentais da UE. Sete Valores. Sete Temas. Dignidade Humana. Liberdades. Igualdade. Solidariedade. Cidadania. Justiça. Ambiente.

Mais de cinquenta fotógrafos aceitaram o desafio para uma primeira seleção. Numa segunda fase um júri especializado destacou as 24 fotos (de 12 participantes) que compõem a exposição. Decidiu também os três prémios, oferecidos pelo BFA – Angola, que recaíram em trabalhos apresentados por três mulheres.

As fotos selecionadas são o espelho através do qual se refletem e se misturam os olhares, as preocupações, as críticas, as aspirações, dos doze fotógrafos selecionados, mas que em boa medida podem ser entendidas também como uma síntese dos olhares dos mais de cinquenta concorrentes.

Cruzar olhares… É (foi!) esse o convite... Dirigido a fotógrafos e agora a todos os visitantes. Descobrirem-se nas inquietações, nos alertas, nas perspetivas, nos olhares uns dos outros. Na esperança de que assim se consiga ver mais direito; na esperança de que assim se consiga alcançar mais longe.

O Diretor do Camões – Centro Cultural Português em Luanda

Telmo Gonçalves